Paraíba Business

Indústria, Comércio e Serviços

Fábrica de Cimento Elizabeth

Desenvolvimento sócio-econômico

PIB - Em 2010 R$ 33,5 bilhões / Em 2014 R$ 54,02 bilhões - 61,12% de crescimento;
Redução da taxa de analfabetismo - 2010 – 2015 - Brasil 18,9% / Nordeste 14,8% / Paraíba 22,3%;
Linha da pobreza - Em 2010 312mil famílias / Em 2014 224mil famílias - redução de 28,2%; Arrecadação de ICMS - Em 2010 R$ 2,5 bilhões / Em 2016 R$ 4,6 bilhões - crescimento de 83%; Evolução do investimento - de 2007 a 2010 R$ 1,7 bilhão / de 2011 a 2016 R$ 5,0 bilhões - 194,12% em crescimento;
R$ 6 bilhões em investimentos, desde 2011;
6° estado em investimentos públicos;
7° estado em equilíbrio fiscal;
6ª menor dívida pública do Brasil;
R$1 BILHÃO previsto para investimentos em 2017;
A Paraíba é o segundo maior produtor e exportador brasileiro de calçados. Produz 200 milhões de pares por ano;
Somos o segundo maior empregador do Nordeste no setor têxtil (em 2015, 9 mil empregados);
Um dos maiores produtores de cimento do país;


POLÍTICA DE INCENTIVOS
O Estado tem o compromisso com uma política forte de desenvolvimento;
Protocolos de intenções para customizar condições fiscais para empresas;
Cessão de áreas com infraestrutura a preços subsidiados em todas as regiões do estado;

Call Center em Campina Grande

Polo de Tecnologia da Informação e Comunicação

O Governo do Estado investiu R$ 4 milhões na reforma do Centro de Inovação Tecnológica Telmo Araújo, em Campina Grande, dando suporte à instalação de 50 empresas voltadas à produção tecnológica. A ação fortalece a vocação e excelência existentes na região que se tornou referência internacional em TIC. Esse diferencial intelectual se transforma em capital e know-how para vários segmentos. Nas cidades de João Pessoa, Campina Grande e Patos, formam-se anualmente cerca de 500 profissionais na área de tecnologia, nos níveis técnico e superior, suprindo as necessidades de mercado.
O Estado possui cerca de 320 empresas de TIC, sendo 200 instaladas em João Pessoa, 20 em Patos e 100 em Campina Grande, onde está a maior capacidade produtiva. Campina Grande é um dos 74 polos tecnológicos do Brasil.

não adianta pensar em expansão de negócios, se não pensar em energia. o Governo incentiva o desenvolvimento desse segmento e acredita no potencial natural da Paraíba.

Polo Energético

• Energia Eólica: A Paraíba tem potencial para a geração de energia eólica em sua larga faixa litorânea. o litoral norte do estado possui ventos que atingem uma velocidade média de 6 a 7 m/s, abrigando atualmente mais de 70 geradores e uma produção capaz de abastecer 40 mil residências.

• Energia solar: Conhecida como a terra onde o sol nasce primeiro, a Paraíba é rica dessa fonte de energia renovável. De acordo com a agência nacional de energia elétrica (aneel), os municípios de coremas, Pombal, são Bentinho, cajazeirinhas, aguiar, igaracy, entre outras cidades da mesma região sertaneja, possuem uma das maiores incidências de radiação solar do Brasil. esse potencial representa amplas oportunidades de integrar novos negócios à geração de energia solar, aliando desenvolvimento e sustentabilidade.

• Termoelétrica: A Paraíba conta ainda com duas usinas termoelétricas: uma em campina Grande e outra em João Pessoa. as usinas paraibanas têm capacidade de gerar 339 megawatts, dando segurança energética para praticamente toda a região nordeste.

Cimenteira em Alhandra

Polo Industrial de Caaporã

A Paraíba tem se destacado nacionalmente com o seu Polo Cimenteiro e Cerâmico. O Governo do Estado da Paraíba, vislumbrando a oportunidade de ampliar ainda mais o setor, fomentou a construção do Parque Industrial de Caaporã, com investimentos de cerca de R$ 39 milhões, em uma área total de 314 hectares. O Parque abriga empresas dos setores cimenteiro, metal-mecânico, vidreiro e es tá localizado próximo às gr andes indústrias instaladas na fronteira entre a Paraíba e Pernambuco. O espaço conta com 112 lotes industriais, 151 hectares de condomínio logístico e 6 hectares de hotelaria. A estrutura foi desenvolvida para que as indústrias do setor possam se instalar e se desenvolver num ambiente adequado, eficiente, com drenagem, pavimentação, rede elétrica, fibra óptica, esgotamento sanitário, abastecimento de água, gás natural, entre outros. A perspectiva é que o número de empreendimentos em atividade na área cresça enormemente nos próximos anos.

Polo de Couro e Calçado

A Paraíba reconhece também como uma das suas vocações mais tradicionais a produção de calçados e artigos de couro, sendo a indústria calçadista uma das mais promissoras da economia paraibana. Objetivando, então, canalizar recursos e esforços em infraestrutura para o setor, foi criado o Polo de Couro e Calçado, incentivando a produção de couros: peles, bolas, bolsas, valises, sandálias, cintos, entre outros. A Paraíba é o terceiro maior produtor do País, com a fabricação de 250 milhões de pares por ano. O polo coureiro-calçadista está distribuído nos três principais núcleos produtivos que estão localizados na Grande João Pessoa, em Campina Grande e Patos. Integrando 600 empresas, entre elas a Alpargatas. Não por acaso, a Paraíba realiza anualmente a feira Gira Calçados, a maior do setor no Nordeste.

Polo Mineral

A extração mineral da Paraíba destaca- se pela produção de minerais não metálicos, também conhecidos como minerais industriais. o principal é a betonita, cujas reservas paraibanas correspondem à metade da reserva nacional. a ilmenita e o rutilo também são extraídos na Paraíba e representam 20% do total nacional de titânio. Além desses três minérios, pesquisas recentes descobriram novas reservas de granito, filito cerâmico, feldspato e argila, elevando a posição do estado no ranking das reservas nacionais de minérios. o investimento em pesquisa e o desenvolvimento de tecnologia de extração representam um enorme potencial de avanço do setor na região.

Polo Turístico

A Paraíba também se destaca no cenário nacional e internacional quando o tema é turismo. O Estado conta com belezas naturais arrebatadoras, uma história rica e marcante, além de cultura e culinária bastante singulares. Somente no ano de 2014, o Estado bateu recorde de visitas e recebeu mais de 6 milhões de turistas. Além das belezas da capital paraibana, João Pessoa, conhecida por ser o ponto mais oriental do continente americano, há os festejos e as maravilhas do interior. Campina Grande todos os anos realiza o Maior São João do Mundo, recebendo mais de 2 milhões de visitantes, com o objetivo de desfrutar das festas juninas no Estado. A cidade de Sousa, no sertão do Estado, possui o Vale dos Dinossauros, um complexo onde é possível encontrar pegadas desses animais deixadas há milhares de anos. A diversidade de atrações disponíveis para atividade de turismo na Paraíba conduziu a consolidação de alguns projetos de fomento, dentre eles o Polo Turístico do Cabo Branco e o Centro de Convenções de João Pessoa.

• Cabo Branco: O projeto do Polo Turístico do Cabo Branco recebeu investimentos públicos na ordem de R$ 100 milhões, voltados para a preparação do ambiente, com fornecimento de rede elétrica, abastecimento de água e construção de vias de acesso. O objetivo central do projeto é o estabelecimento de uma rede hoteleira e de outros equipamentos turísticos ao longo do litoral sul da cidade de João Pessoa. A intenção é também desenvolver a capacidade turística nos arredores do Centro de Convenções.

• Centro de convenções: O Governo do Estado da Paraíba recentemente, inaugurou seu Centro de Convenções, um importante espaço que compreende um salão de feiras e exposições, centro de congressos, mirante, restaurante panorâmico e o Teatro Pedra do Reino. O centro de congressos é composto por blocos administrativos distribuídos em três pavimentos, salas multiúso com auditório com capacidade para 2,3 mil pessoas. Ao todo estão disponíveis 8 auditórios adaptados conforme o público dos eventos agendados. O mirante tem a altura equivalente a um edifício de 17 andares (57 m), e, no primeiro andar, funcionará um restaurante panorâmico. Desse ambiente, tem-se uma visão ampla das praias e de algumas regiões da capital paraibana. A área completa do Centro é de 34.52 hectares, sendo 48.676 m² de área construída, contando ainda com estacionamento para mais de mil carros.